Liminar tira Marcelo Guimarães da presidencia do Bahia

A liminar concedida nesta terça-feira (6) pelo juiz Paulo Albiani, da 28ª Vara Cível de Salvador, que determinou a suspensão da eleição para presidente no Esporte Clube Bahia, determinou ainda como administrador provisório da agremiação o advogado Carlos Rátis. Com isso, o atual mandatário, Marcelo Guimarães Filho, fica impedido de exercer suas funções e, em caso de descumprimento da ordem judicial, pode pagar multa diária de R$ 100 mil.Além de ser indicado como novo administrador do clube, a liminar determina que Rátis receba um ordenado de R$ 60 mil, até que o caso seja resolvido. Em entrevista ao Bahia Notícias, o novo presidente tricolor disse estar interessado apenas em resolver o imbróglio no escrutínio. "O interesse é viabilizar as eleições de forma correta, como está previsto na lei", afirmou Rátis na sede de praia do Bahia, onde encontra-se reunido com Marcelinho Guimarães e o presidente do Conselho Deliberativo do clube, Ruy Accioly.